Buscar

Pandemia de Covid-19 completa 1 ano e preocupa hotelaria de Ponta Grossa

Taxa de ocupação atingiu o menor patamar já registrado no acumulado de 12 meses


Em março deste ano completou 1 ano em que o turismo está convivendo com a pandemia de Covid-19 e, desde a data, o setor está buscando maneiras de manter o funcionamento e receber visitantes de maneira segura mesmo em meio a situação.


foto de uma recepção de hotel com a placa dourada escrita reception e uma campainha atrás
Desde o início da pandemia, a taxa de ocupação está em oscilação

Um dos setores que sentiu de maneira imediata o que estava acontecendo foi a hotelaria. Segundo dados do Ponta Grossa Campos Gerais Convention & Visitors Bureau, dois meses antes do início da pandemia no Brasil, a taxa de ocupação estava em 56%, caindo para 41% em março e fechando abril em 13%, valor mais baixo já registrado em Ponta Grossa.


Henrique Plattek, diretor do Convention, comenta o efeito no setor.

“O impacto deste ano de pandemia foi massivo e só não foi pior graças a natureza agroindustrial de nossa região. As perdas não param de se acumular e não há muito o que as empresas podem fazer”, comenta.

Para ele, o que mais pode ajudar agora é um pouco de estabilidade. “Fazer medidas de contenção da pandemia nos momentos certos e continuar em ritmo acelerado a vacinação é o que mais terá efeitos positivos para toda a cadeia turística”.

Situação dos hotéis

Quando a pandemia começou no Brasil e os reflexos iniciaram na região, diversos hotéis optaram por parar as suas atividades, caso do Luds Comfort Hotel, que ficou sem atendimento por cerca de 1 mês.


Neste período, a empresa iniciou seu processo de adaptação, desde a limpeza ao café da manhã. “Acreditamos que algumas das medidas sanitárias vieram pra ficar mesmo no pós pandemia e com isto também aumentam os custos da operação”, comenta Debora Slud, diretora executiva do hotel.