Hotel completa 80 anos tendo recebido 2 milhões de hóspedes

Texto: Diário dos Campos


Hotel celebra tradição e modernidade em um mesmo lugar | Foto divulgação

O Planalto Select Hotel completa, nesta segunda-feira (11), 80 anos de atividades desde sua inauguração. Aquele que foi o primeiro edifício em laje de Ponta Grossa, e o mais alto do município até o final da década de 1940, motivou o Diário dos Campos a noticiar, já naquela época, a chegada do “majestoso edifício erigido na esquina da Rua 7 de Setembro com a Rua 15 de Novembro”. Era, segundo a publicação, um hotel digno do adiantamento e progresso que a cidade vivenciava.

Chamado inicialmente de “Palace Hotel”, o edifício foi erguido onde antes existiu outro hotel, o Hotel Palermo, fazendo com que o endereço mantenha funções similares – de hospedagem, gastronomia e centro de eventos – ao longo de mais de um século.


Hotel fortaleceu serviços de gastronomia e eventos, além de preservar características originais do imóvel | Foto: Fábio Matavelli

O Palace Hotel foi inicialmente idealizado através do Rotary Club Ponta Grossa, mas foi em 1973 que o imóvel foi adquirido pelos irmãos Wilson Wagner e Franklin Wagner. A nova administração significou uma grande mudança no formato de atendimento e constante atualização. É o que explica Daniel Wagner, filho de Franklin, e que atualmente gerencia o hotel.


Segundo ele, o prédio original tinha 120 quartos e apenas 4 apartamentos com banheiro privativo. Uma ampla reforma permitiu que, em 1976, o local contasse com 75 apartamentos, todos com banheiro. As melhorias – também hidráulicas, elétricas e de telefonia – motivaram a mudança do nome do estabelecimento para Planalto Palace Hotel.


Independência

“Recentemente, conseguimos nos tornar um Hotel Independente, que é referência em termos de hospitalidade e qualidade de serviços, conciliando o charme da história com a constante atualização. Nosso lema é ser tão confiável quanto um bom hotel de rede, mas com o charme e os detalhes de um excelente hotel independente”, diz Wagner.


Percebendo que o hotel deve se adequar ao perfil de seu público, a atual gestão vem dando ênfase no atendimento de eventos, a partir do final da década de 1990. A partir de então, e até hoje, ele oferece 66 apartamentos, enquanto outras nove unidades foram convertidas em salas de reuniões e setores administrativos.


Daniel Wagner gerencia o hotel, adquirido na década de 1970 pelo seu pai | Foto: Fábio Matavelli)

Atualização

Essa tendência se consolidou no início dos anos 2000, com a ampliação de sua área de eventos – hoje com oito salas de reuniões – e com o investimento maior no segmento de gastronomia, também para o atendimento do público externo, tendência nos maiores hotéis do mundo. Isso se consolidou com a inauguração do Lumen, espaço gastronômico anexo ao lobby. Em funcionamento desde 2019, o espaço é voltado a hóspedes e ao público local, e foi uma das atualizações que o imóvel recebeu, ocasião em que passou a se chamar Planalto Select Hotel.


Modernização

O hotel foi estrategicamente construído a poucos quarteirões da estação de trem que, à época de sua inauguração, tinha notável importância para o desenvolvimento da cidade e grande fluxo de viajantes. Atualmente mantém a essência de sua fachada histórica, dos tempos em que as reservas eram feitas por carta ou telégrafo, mas adotou modernas técnicas de gestão e tecnologia.


Hóspedes ilustres


Figuras importantes como Getúlio Vargas estiveram hospedadas no hotel | Foto: Arquivo DC)

O hotel completa oito décadas de funcionamento, expondo com orgulho em seu saguão recorte de reportagem do Diário dos Campos e fotos que mostram como, ao longo dos anos, o local foi co-protagonista da história. Segundo Daniel Wagner, a administração estima que mais de 2 milhões de pessoas se hospedaram ou participaram de eventos no hotel.


Entre elas, hóspedes ilustres como os presidentes Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek, os médiuns espíritas Chico Xavier e Divaldo Pereira Franco. Mais recentemente, recebeu governadores do Paraná, senadores, atletas olímpicos, representantes da classe artística, além do ministro do STF, Ricardo Lewandowski.