Buscar

Room Tax auxilia o desenvolvimento do turismo regional

Arrecada desde 2005, a Room Tax permite a realização de diversos projetos e auxilia na divulgação da região

Desde sua criação em 2005, o Ponta Grossa Campos Gerais Convention & Visitors Bureau (PGCG CVB) oferece duas formas de contribuição aos associados: Mensalidade a partir do segmento do empreendimento e a Room Tax. A segunda opção, utilizada por todos os CVBx mundo a fora, é uma contribuição com valor diferente em cada cidade, variando de R$1,20 a R$10, segundo a Unidestinos.

Recolhida pelos hotéis associados e repassada mensalmente aos CVBx, a contribuição fomenta diversas ações no turismo, desde a formulação de projetos para o marketing de destino a melhorias na estrutura de recepção aos visitantes, além de possibilitar a participação em eventos e capacitações.

Nos Campos Gerais do Paraná o valor é de R$1,50 e dois hotéis contribuem para o turismo desta forma, caso do Hotel Planalto, associado há 13 anos, e do Luds Comfort Hotel, afiliado do Convention há quase um ano e empresa hoteleira mais nova em Ponta Grossa que nasceu do sonho de três gerações de empreendedores com diversas expectativas em seu negócio, principalmente ao atual cenário econômico.

Mais pessoas no empreendimento, mais Room Tax e, consequentemente, mais repasse ao PGCG CVB, o que aumenta a atuação da entidade. “A taxa de ocupação hoteleira é ligada diretamente à saúde dos outros setores da economia da cidade, que obviamente, está contida. Acreditamos que ao superar e se melhorar durante a crise a ocupação hoteleira se descobrirá melhor distribuída entre os setores da economia local”, comenta a diretora executiva do Luds, Débora Slud.

Entretanto, mesmo com mercado oscilante, o hotel conta com bons resultados.

“Estamos com a ocupação do Luds dentro das expectativas. Uma meta alcançada com muito trabalho, mas com apenas nove meses de abertura, ainda falta muito para chegar onde realmente queremos chegar”, completa Débora.

Fachada Luds Comfort Hotel

Em números, mais de 7 mil pessoas já se hospedaram no empreendimento, o que impacta a economia ponta-grossense em mais de R$1 milhão, isso levando em consideração apenas o perfil do turista de negócios e eventos, que segundo dados do Ministério do Turismo, gasta em média US$300 diariamente.

Então, com a visão de promoção do setor na região através de ações com a Room Tax, se associar ao PGCG CVB, foi uma das primeiras escolhas da empresária e de seus sócios, que ainda na construção do Luds, procuraram por entidades promotoras dos potenciais da região. “Fui muito bem acolhida pela presidente Wagnilda, e desde então percebi a importância de fomentarmos o turismo na nossa cidade, não só para hotelaria, mas para a economia em geral, pois o turismo de negócios movimenta diversos setores na nossa cidade”, comenta Débora.