Buscar

120 empresas vão receber o Selo de Qualidade no Turismo do Paraná

Nesta terceira edição, 120 empresas vão receber o Selo que garante excelência na gestão do negócio e na prestação de serviços turísticos no Estado

No próximo dia 17, empresas paranaenses participam da cerimônia de entrega do Selo de Qualidade no Turismo do Paraná, ciclo 2016/2017, um reconhecimento às organizações que investem em melhorias em seus processos de gestão e na qualidade na prestação dos serviços. O evento será às 18h30, no Expo Unimed Curitiba. Na oportunidade, 120 micro e pequenas empresas receberão o reconhecimento.

Da Região dos Campos Gerais do Paraná são 15 empresas, sendo seis associados do Ponta Grossa Campos Gerais Convention & Visitors Bureau.

Há um ano elas participam de um programa do Sebrae/PR, desenvolvido em parceria com Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Paraná (ABIH-PR), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Paraná (Abrasel-PR), Associação Brasileira de Agências de Viagens do Paraná (Abav-PR), Associação Brasileira de Empresas de Eventos do Paraná (ABEOC/PR), Paraná Convention & Visitors Bureau, Paraná Turismo e Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR).

O conteúdo prevê uma série de etapas para elaboração de diagnóstico empresarial, feito com base em questionários respondidos pelos gestores, treinamentos, palestras, avaliações de consultores e visitas técnicas. São avaliados requisitos legais, processos de gestão, sustentabilidade e atendimento, itens de infraestrutura e oferta de serviços. O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) é o responsável pela análise de conformidade e avaliação das empresas no final do processo.

O programa tem como objetivo o aperfeiçoamento técnico e profissional das empresas do setor turístico, por meio de avaliação da gestão, processos e qualidade de produtos e serviços. Nesta edição, além de meios de hospedagem (hotéis, resorts, flats e pousadas) e estabelecimentos de gastronomia turística (restaurantes, bares, lanchonetes), foram avaliadas agências de turismo receptivo, organizadoras de eventos, locadoras de veículos, empresas de transporte turístico e espaços para eventos, onde o Sebrae/PR já atua com projetos no segmento, como em Curitiba, Litoral, Londrina, Maringá, Cascavel, Foz do Iguaçu e Campos Gerais. A iniciativa também propiciou a participação de empresas de outras regiões do Paraná, através de Chamada Pública.

O coordenador estadual de Turismo do Sebrae/PR, Aldo Cesar Carvalho, explica que uma das vantagens do programa é estimular a melhoria contínua na gestão do negócio e na prestação de serviço aos turistas. Ele conta que o conteúdo aponta soluções para reduzir perdas e custos no processo produtivo, para melhorar a rentabilidade e aumentar o lucro. “Nos treinamentos, as empresas recebem informações, entre outros enfoques, sobre como assegurar que o produto, serviço ou sistema atenda às normas vigentes exigidas pela legislação, o que permite ainda medir a evolução do negócio”, destaca.

O Sebrae/PR é responsável pela execução técnica do programa que, entre outras vantagens, melhora a imagem da organização e de seus produtos junto aos clientes. “Não podemos deixar de enfatizar que o Selo também reposiciona e fortalece as marcas, facilitando o acesso a novos mercados, além de priorizar as empresas participantes em ações como rodadas de negócios, feiras e eventos de grande porte”, resume.

“O Selo de Qualidade também atesta a melhor qualificação das empresas em relação à sua gestão e prestação de serviços. Essa relação está no DNA do Sebrae, que com este processo pretende solidificar o Paraná como importante destino turístico nacional e internacional”, conclui Carvalho.

Para a diretora da Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio PR, Rosa Maria Corbari Maccali, o Selo eleva o nível de competitividade do setor. “As empresas alcançam o reconhecimento do mercado por seu investimento em melhorias em seus processos de gestão. E o consumidor final ganha porque passa a contar com produtos e serviços de melhor qualidade a preços mais justos, resultado da concorrência entre as empresas”, sugere. “Mesmo em pouco tempo, o Selo já se tornou um referencial para o mercado, em função do reconhecimento do próprio consumidor que é exigente e seletivo”, explica.